Roteiro Planalto Superior Automóvel: Lagoa Comprida – Torre

Seia
Circuito de duas secções, que percorre as paisagens e habitats mais característicos da Serra da Estrela, em particular os que se situam a maior altitude.

Saiba mais

Trajeto II: Lagoa Comprida – Torre

 

Saindo da Lagoa Comprida, entre a estrada e a descarga de superfície da barragem, encontra-se uma pequena depressão atravessada por um regato, designado por ribeira da Pragueira, que se apresenta ocupada por cervunais, turfeiras e urzais, onde os rebanhos pastam no Verão. O roteiro prossegue até ao cruzamento com a EN 338, estrada que liga Vide a Manteigas, seguindo por esta via em direção à Torre.

Subindo a partir da Penha do Gato, em direção aos Luzianos, é possível observar, em ambos os lados da estrada, várias formas típicas de erosão do relevo granítico, como a fraga do Alvoco, que representa uma evidência de que durante o último período glaciário esta área se encontrava fora da área gelada. A partir da fraga do Alvoco, o itinerário cruza uma extensa área planáltica que no inverno aparece coberta por um manto de neve que dá lugar, na primavera, a uma vegetação com caraterísticas únicas em Portugal. Nas Salgadeira, local situado ao km 27 da EN 338, dispõe de bons locais de estacionamento e constitui um ponto de partida privilegiado para dois curtos passeios pedonais.

Retomando a estrada, a curta distância do ponto mais elevado da serra, a uma altitude compreendida entre os 1851 m e os 1988 m, situa-se a única estância de esqui existente em Portugal. A estação encontra-se aberta de dezembro a abril com uma extensão total de 7,7 km, adequadas para a prática de esqui e snowboard. A poente das pistas, sobre a Garganta de Loriga e facilmente visíveis desde a estrada, encontram-se as lagoas do Covão do Quelhas, do Serrano e da Francelha, que drenam as suas águas para a albufeira do Covão do Meio.

Da estação de esqui, o itinerário segue em direção à Torre, um dos pontos mais visitados da serra. Neste local, encontra-se o marco geodésico de 1ª ordem da Estrela, que marca a altitude mais elevada de Portugal continental, a 1993 m. A vista panorâmica deste sítio é das mais abrangentes em Portugal e permite, em dias de boa visibilidade, descobrir locais tão longínquos como as serras do Marão e Alvão, a norte, da Boa Viagem – Figueira da Foz, a poente, Béjar e Gredos – Espanha, a nascente e de S. Mamede – Portalegre, a sul.